12 de fevereiro de 2010

C'est!


Não sou nenhuma princesinha encastelada,
Nem necessito que cuides de mim,
Mas como o aprecio, o respeito e o desejo...
Fazes bem em cuidar de mim,
Ainda que apenas em partes.
Minha beleza não é meu triunfo,
Apesar de ser um grande presente.

Não é uma luta vã,
Tão pouco encontro conforto em ter de esperar.
Mas tudo o que me agrada nessa vida passageira
Não foi fácil conquistar.

No meio de tantas certezas,
Você me deixa em incertezas.
No meio de todas as suas dúvidas,
Eu sou tua certeza.

Que semente fincastes no meu peito?
Que pedaço arrancastes pra ti de minh'alma?
Ainda que corramos, ainda que nos escondamos,
Meu querer estará sempre em teu peito,
E teu olhar, ainda que dilacere meu leito... há de trazer-me novamente a calma.

7 comentários:

Érica disse...

huuum apaixonadinha! huheuiheuieh,
liindo ^^

:***

Diego disse...

Tô arrepiado de ler isso, cacetada nao sabia que voce escrevia assim. Pra quem é? é pra alguém esse poema? ou é inspiraçao sobrando?

Abração

Diego.

Maldito disse...

Intrigante,...
Ei,..vc ta de ferias da net? Ou so me bloqueou no MSN?
Apenas me informe para saber se sigo o mesmo protocolo!
Inté!

Maldito disse...

Esse MSN que acabou de me passar é o que eu ja tenho adicionado aqui,..mas nunca amis te vi online nele!

Danilo ( Nilo) disse...

eita po brf demais no seu talento
bjs

Raffs disse...

penso que amores assim são como brincadeira de pique-esconde... estamos sempre a procurar e quando achamos, é nossa vez de ser procurada...

Nêga!!! disse...

Érica: aiaiaiaiaii :P

Diego: Podem ser ambos :D

Maldito: Love you bobo!:**

Danilo: Obrigadinhaaaaa

Raffs: é amiga,mas vc sabe que minha paciêcia... esgota :D